Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE

Custom Header

{fbt_classic_header}

Últimos chasques

latest

Vocação para declamar e encantar

Yasmin leva sempre consigo as cinco marias, jogo que apresentou na Ciranda de Prendas - PAULO PIRES/GES Ela tem apenas 12 anos, mas a p...

Yasmin leva sempre consigo as cinco marias, jogo que apresentou na Ciranda de Prendas - PAULO PIRES/GES


Ela tem apenas 12 anos, mas a postura para dar entrevista e o conhecimento adquirido à base de muito estudo sobre a cultura gaúcha não lembram em nada a pouca idade. A canoense Yasmin dos Santos Ribas, que conquistou recentemente no município de Lajeado (Vale do Taquari) o título de 3ª prenda mirim do Estado, é uma prendinha nata. Meiga e muito segura sobre as tradições e a história do RS, a guria começou sua trajetória no meio artístico gaúcho aos 9 anos, mas a vontade veio antes. "A gente sempre passava na frente do CTG Mata Nativa e ela, com 8 anos, pedia para entrar na invernada. Resolvemos esperar para ver se não era fogo de palha e um ano depois ela entrou", lembra o pai, Jorge Wagner Alvares Ribas, vice-patrão do Mata. "Eu só queria dançar", diz Yasmin sobre a vontade de entrar para o mundo dos CTGs.

Já no grupo do Mata, em 2017, foi convidada para concorrer na Ciranda das Invernadas interna - e ganhou, três meses após ingressar. Um ano depois, em junho de 2018, a prendinha concorreu com seis meninas para representar a 12ª Região Tradicionalista, que contempla, além de Canoas, os municípios de Esteio, Sapucaia do Sul, São Leopoldo e Nova Santa Rita. Mais uma vez, Yasmin brilhou e venceu.

Neste ano, a fase estadual, sempre muito disputada. Ocorrida nos dias 16, 17 e 18 de maio, a 49ª Ciranda de Prendas reuniu Yasmin e outras 27 prendas para concorrerem ao posto de primeira prenda do RS na categoria Mirim. Composto por três etapas - prova escrita, mostra folclórica e a parte artística, a estrela da jovem canoense seguiu brilhando. Ela acertou 31 questões na prova escrita, isso porque as outras quatro foram anuladas. Já na parte artística, mandou muito bem nas danças, declamação e na prova oral, onde falou sobre o jogo cinco marias - ou "brincadeira dos cinco saquinhos". "Ela foi a única a mostrar as cinco marias", diz o pai. O resultado demorou a sair e veio somente às 4h de domingo, no final do baile que encerra as atividades da ciranda: Yasmin trouxe na mala o terceiro lugar.

"Em 26 anos, o Mata só teve duas prendas a nível estadual e a Yasmin é uma delas", cita Jorge. Por falar no CTG, na última quarta-feira - dia do aniversário da prendinha - ela foi recepcionada com festa no Mata para celebrar o resultado alcançado. Uma homenagem na Câmara de Vereadores também marcou as comemorações ao feito da jovem.

O dom para o prendado

"O que mais gosto como prenda é participar de eventos", afirma Yasmin, ao ser lembrada pela mãe, Eliane, que outra coisa que a motiva a seguir na área é servir de exemplo para outras gurias. "Ela se sente muito feliz com isso", acrescenta Eliane. A rotina para chegar no atual posto é bem puxada: os ensaios no Mata Nativa ocorrem às terças e sextas-feiras, sempre das 19h30 às 21h30. Ainda tem os estudos - tanto na escola quanto para acumular todo o conhecimento possível sobre a cultura gaúcha. Até a geografia do Estado entra nessa lista.

Mas tudo isso não atrapalha as notas no colégio? Os pais garantem que é bem o contrário. "Só ajudou", sorri Yasmin. "Até chamam a gente na escola, mas para dizer que ela domina os conteúdos antes mesmo de serem dados em sala", contam Jorge e Eliane, ressaltando o orgulho da caçula.

Na visita feita à redação do Diário de Canoas, a prenda ostentava a bela faixa conquistada há pouco e uma maleta de "primeiros socorros" - cheia de coisas que uma prendinha pode precisar: uma agenda, uma caneta, o celular, tesoura, agulha, linha, toalha, escova de dentes e a companhia das cinco marias. Ela ainda deu um show de desenvoltura ao explicar à repórter como se joga cinco marias, comprovando ainda mais o motivo de sua conquista.

O tão sonhado título

"É muito estudo, tanto que ela teve que parar por dois meses de fazer o que mais gosta, que é dançar, para se dedicar aos estudos para o concurso", conta o pai, que, aos risos, lembra que Yasmin já pergunta quando será o próximo concurso. "Estou apavorado", brinca. Daqui a dois anos, ela pode disputar o posto de prenda juvenil.

O pai aproveita a entrevista para agradecer todo o apoio que a família teve. "Para chegar a um nível desses no Estado, tem que ter uma equipe muito coesa. Sem o apoio da entidade, não tem como", referindo-se ao Mata. "Para nós, entrar numa ciranda foi um sonho mágico. Foi muita dedicação e é uma realização", afirma Jorge, cheio de orgulho.


Fonte: portal Diário de Canoas

Nenhum comentário