Cavalgada da chama chega a Passo Fundo

 Com o chapéu do Juca da Transpasso, a mula Sertaneja percorreu a distância de Irai a Passo Fundo



Com homenagens e muita emoção, a Chama Crioula chegou na manhã desta quarta-feira (22) em Passo Fundo. Os Cavaleiros do Planalto Médio percorreram a Avenida Brasil até a rua Bento Gonçalves, onde pela Avenida Presidente Vargas se dirigiram ao Parque de Rodeios da Roselândia. A chama foi acesa no dia 11 de agosto em Iraí e ao todo o foram 231 km cavalgados até chegar na cidade.

A chegada em Passo Fundo do fogo foi marcada por homenagens ao tradicionalista José de Almeida, o Juca da Transpasso, como era conhecido. Juca faleceu na noite do último dia 8 de agosto e era grande organizador do evento.

Em entrevista na Uirapuru, o cavaleiro Airton Tim falou da emoção e da sua participação na condução da chama. Para ele, levar a Chama Crioula é um sentimento de civismo e que infelizmente é uma das coisas que os cidadãos têm perdido. Segundo Tim, a chama crioula representa a nossa história, nosso legado, mas principalmente nossa cultura.

Emocionada, a filha de José Almeida, Alessandra, em entrevista na Uirapuru, falou da homenagem realizada ao seu pai. Alessandra destacou que a família esteve presente para recepcionar o grupo de cavaleiros, que tinham passado por tempos difíceis durante o percurso. Alessandra contou que a condução da chama era a alegria e a vida dele, onde  junto com a Transpasso eram as coisas que motivavam Juca.

Reialda, esposa de Juca, também esteve acompanhando a chegada da chama e conversou ao vivo na programação da Uirapuru. Reialda contou que Juca esperava o ano todo pela cavalgada. A esposa, emocionada, revelou que essa época que ocorria a busca pela chama era o tempo que Juca tirava suas férias e se preparava para a buscar o fogo. A família agradeceu ainda o carinho e o apoio que vem recebendo da comunidade passo-fundense.

Junto da cavalgada, ao lado da chama e das bandeiras, a "mula sertaneja” de Juca, assim como fez por muitos anos, acompanhou e participou da condução, como forma de homenagem ao Juquinha, que estava se preparando para o evento quando acabou falecendo. A mula trouxe consigo ainda o chapéu de Juca.

Em entrevista na Uirapuru, a coordenadora da 7ª Região Tradicionalista, Gilda Galeazzi, explicou que o fogo ficará na sede dos cavaleiros, na Roselândia, até o dia 2 de setembro. Neste dia ela será entregue ao prefeito Luciano Azevedo e posteriormente levada ao Batalhão da Brigada Militar, onde ficará até o dia 08 de setembro, quando as entidades iniciam suas rondas.

Segundo Gilda as rondas nos CTGs, com os cafés de chaleira, vão até o dia 20, quando ocorrem a Mostra da Cultura Gaúcha e o Desfile Farroupilha.


Colaboração: Hilton Luiz Araldi
Fonte: Rádio Uirapuru

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.