A noitada de ontem do 26º Ronco do Bugio, para nós que somos organizadores, era um incógnita total. Estávamos apostando em mudar e isto sempre apresenta alguma resistência pelo nosso ser conservador. Estávamos abrindo um espaço apenas para escritores e compositores locais. Estávamos apreensivos desde a época das inscrições. Contudo, o que aconteceu, nos fez sair com a "boca nas orelhas". Primeiro pelo grande números de artistas locais inscritos. Segundo por ver um CTG completamente lotado em uma noite que normalmente é fraca. Terceiro pelo alto nível das músicas concorrentes, o que prova que, realmente, o serrano traz o bugio no sangue.
 
A dificuldade para escolher duas composições dentre as dez apresentadas foi tanta que a Comissão Avaliadora apresentou uma proposta de, para a próxima edição, aumentar o número de classificadas. 
 
Para encerrar, a linda e emocionante homenagem prestada a dois ícones da musicalidade de São Francisco de Paula, seus filhos Francisco Castilhos e Albino Manique. Foi a cereja do bolo.
 
Aliás, Albino iria só abrir o baile, tocar uma meia dúzia. Cruzou a madrugada e ele estava lá, grudado na gaita velha que nem porco nas batatas.
 
Se hoje transcorrer nos conformes da noite de ontem, será uma dos maiores Roncos de todos os tempos.
 
As músicas classificadas da Fase Local foram:
 
JANELA DO MUNDO
Letra: Nelson Ortácio
Música: Rodrigo Pires

TROPA QUARTEADA
Letra: Jairo Fonseca
Música: Volnei Gomes / Leonel Almeida
 

Fonte: blog do Léo Ribeiro
Axact

#ProsaGalponeira

O Prosa Galponeira é um portal voltado para a divulgação da cultura gaúcha, amplamente diversificado, trazendo notícias sobre os festivais nativistas, shows - agenda de artistas, rodeios, eventos em CTGs, MTG e CBTG, artigos culturais, histórias e personalidades marcantes da nossa cultura, entre outras informações e histórias. E-mail: prosagalponeira@gmail.com.

Poste o seu comentário:

0 comments: