Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE

Custom Header

{fbt_classic_header}

Últimos chasques

latest

Regras para pilchas podem excluir grupos de festival

Prenda de DTG de Canoas. Cor do vestido vedada pelo MTG. — Foto: Divulgação Integrantes de grupos que pretendem participar de um festi...


Prenda de DTG de Canoas. Cor do vestido vedada pelo MTG. — Foto: Divulgação

Integrantes de grupos que pretendem participar de um festival destinado a categorias pré-mirim, mirim e juvenil de artes gaúchas, que acontece em Soledade, em junho, estão preocupados com a divulgação das regras para a indumentária feita esta semana, a menos de 2 meses do evento. O grupo juvenil do DTG Tropeiros do Ouro Negro, de Canoas, por exemplo, pode desistir de disputar o "Enart mirim". O coreógrafo do grupo Júnior Paiva Malagnês, o Juninho, diz que os vestidos das prendas foram confeccionados em vermelho (foto), cor vedada pelo regulamento.

Diz Juninho que cada vestimenta das gurias, incluindo acessórios, custa em média R$ 1 mil. "Como farão os grupos que fizeram rifas, pedágios em sinaleiras, o ano inteiro e que já mandaram fazer seus trajes com as cores proibidas?", questiona ele. Na página do Repórter Farroupilha no Facebook, as novas regras dividiram opiniões.

Válida para as categorias pré-mirim, mirim e juvenil, a "nota de instrução" veda, por exemplo, o uso de traje histórico. Para os peões mirins, faculta o uso de colete e proíbe esporas e "lenço de pescoço batendo na bragueta". Para os peões juvenis, a bombacha não deve ser "muito larga e comprida, não devendo encobrir as botas".

Por sua vez, as prendas juvenis devem calçar sapatos "preto, marrom e bege". Os vestidos não podem ser nas cores roxo, vermelho e violeta. Também é vedado, "terminantemente", coque no cabelo, que precisa estar "semi-preso". A maquiagem deve ser com pó-de-arroz, rímel e brilho labial". Chamou a atenção o item das sapatilhas, que devem ter "tonalidade própria a idade (bege, branco, etc.)". Ninguém entendeu o significado do "etc".

Procurado, o presidente do MTG, Nairo Callegaro, disse que as reações às regras não foram "tão negativas", e que muitas delas foram positivas. Sobre a divulgação só agora das normativas, ainda não se manifestou. Em editorial, escreveu que o Enart para as crianças "tem causado desconfortos a estas minorias, mas por outro lado tenho visto o brilho nos olhos das crianças, adolescentes e principalmente pais e familiares".

Sobre as tais minorias, também declarou que a realização de mudanças em todos os sentidos causa desconfortos aos que " perdem o 'poder' e este, quando devolvido ao todo, faz com que aqueles organizados (minoria) façam barulhos ensurdecedores".


Fonte: Repórter Farroupilha | Portal G1

Nenhum comentário