Grid

GRID_STYLE
FALSE
TRUE

Custom Header

{fbt_classic_header}

Últimos chasques

latest

Um dia na vida de Luiza Barbosa, gaúcha finalista do The Voice Kids

Em Sapiranga, onde mora, Luiza divide-se entre as atividades na escola, ensaios e viagens ao Rio, onde grava o programa Júlio Cordeiro ...


Em Sapiranga, onde mora, Luiza divide-se entre as atividades na escola, ensaios e viagens ao Rio, onde grava o programa
Júlio Cordeiro / Agencia RBS


Neste domingo (7), na RBS TV, a partir das 12h45min, Luiza Barbosa, 12 anos, sobe ao palco do The Voice Kids novamente para disputar a semifinal do programa. A gaúcha, integrante do time de Claudia Leitte, que vem chamando a atenção do público com interpretações consistentes de nomes históricos da MPB, disputa uma vaga na final com outros oito concorrentes (três de cada time, sendo que um de cada equipe irá para a grande final). Durante um dia, acompanhamos a rotina da pequena estrela de Sapiranga, na sua escola e na casa onde ela mora com a família.

Tietagem corre solta

Na Escola Luterana de Ensino Médio São Mateus, no centro de Sapiranga, distante cerca de 60 quilômetros de Porto Alegre, não é preciso muito tempo para notar que ali estuda uma pequena estrela da música nacional. Quando a reportagem esteve na escola, na terça-feira passada, flagrou, por diversas vezes, a tietagem de colegas de sala e de outras turmas com a aluna que está ficando famosa. Nos corredores, após o fim da aula, os pedidos de selfies eram constantes.

Na sala de aula, Luiza, que cursa a 7ª série, é definida pelos professores e coordenadores como aluna aplicada. Por conta das viagens e participações no programa, ela vem tendo um tratamento especial, como explica a coordenadora pedagógica da escola, Aline Kunst da Silva:

— Ela é muito responsável, e a família, muito comprometida. Então, a gente flexibiliza algumas situações, para que dê conta dos conteúdos em outros momentos. Mas ela retoma os conteúdos, estuda muito e não compromete o seu rendimento na escola.

Troca de carinho em família 

Luiza com os pais, Geonei Dias e Ângela Barbosa
Júlio Cordeiro / Agencia RBS


No bairro São Luiz, em Sapiranga, onde a família mora, a sala repleta de troféus dos mais diversos festivais nativistas do Estado é apenas um pequeno retrato do orgulho da família de Luiza. Lá, os pais, o mecânico automotivo Geonei Dias e a auxiliar financeira Ângela Barbosa Dias, babam pela talentosa artista que cultivaram em casa.

— Está sendo um orgulho imenso, como pai, ver o reconhecimento que a Luiza vem tendo.

A gente nota que a emoção que ela passa a cada apresentação está sendo bem recebida e as pessoas estão devolvendo ainda mais carinho para ela, mais apoio — afirma Geonei.

Já a mãe define o momento atual da filha como “um sonho realizado”.

— Desde sempre, ela disse que seria cantora. A gente pensava: de onde ela vai tirar essa inspiração? Os amigos do CTG a incentivaram muito, o grupo de dança do Guapos também. É um orgulho pra gente ver que ela tem amigos que incentivaram o seu sonho — elogia Ângela.

Com a agenda lotada, por conta da escola, dos ensaios, das viagens para o Rio de Janeiro (onde acontecem as apresentações no The Voice, nos Estúdios Globo) e das apresentações no reality, Geonei e Ângela têm se virado nos 30 para dar conta de pedidos de entrevistas, solicitações de shows e ainda cuidar da rotina da pequena no dia a dia.

— Depois do trabalho, respondo os e-mails sobre pedidos de shows, que aumentaram bastante, inclusive pedidos de fora do Rio Grande do Sul. Mas ainda estamos focados no programa. Por enquanto, estamos apenas pré-agendando apresentações, para datas pós-The Voice Kids — afirma Geonei.

Em tempo: no final da entrevista, Geonei anuncia que, em breve, fará uma pequena reforma na casa para que os troféus da pequena artista fiquem acondicionados em um local especial.

Para que amigos e familiares possam acompanhar a performance da gauchinha, e votar em sua permanência, via site do programa (gshow.com/thevoicekids), o centro de Sapiranga receberá um telão, neste domingo, a partir do meio-dia, na praça Arlindo Weber, conhecida como a Praça Coberta. No local, será disponibilizado sinal de wi-fi gratuito, para que todos votem na gauchinha.

De gauchinho para gauchinha

Em 2017, na segunda edição do The Voice Kids, o Brasil se apaixonou pelo gauchinho Thomas Machado. Na época, aos nove anos, o representante do Estado encheu de fofura as tardes de domingo e venceu a disputa. Na quarta-feira, na estreia da temporada do espetáculo do Guri de Uruguaiana no Theatro São Pedro, o ator Jair Kobe alter ego do Guri, reuniu no palco Thomas e Luiza.

— Gosto muito do jeito com que ele lida com os seus fãs, admiro demais o Thomas. Acho legal o jeito como ele conduz o seu show, não apenas cantando, mas também conversando com seu público — elogia Luiza.

Otimismo, mas com respeito à concorrência
Já Thomas, que fez sua estreia no palco do São Pedro na ocasião, vem fazendo campanha para a conterrânea, pedindo votos para ela em suas páginas no Facebook e no Instagram. O pequeno, hoje com 11 anos, retribui os elogios para Luiza e se mostra confiante na vitória da gauchinha. E deixa algumas dicas:

— Que ela se concentre muito, treine muito as músicas, que não pense no nervosismo, seja amiga das pessoas, ajude as pessoas. E que faça o melhor dela.

Mesmo confiante, Thomas acredita que pelo menos dois concorrentes se mostram fortes na disputa até o título. Um deles, Pedro Miranda, inclusive disputa vaga com a gaúcha na final, já que os dois integram o time de Claudinha.

— A concorrência dela é muito boa, Pedro e Jeremias Reis (do time de Simone & Simaria) tiveram boas votações populares. Tenho medo do Jeremias — reconhece Thomas.

Apoio dos colegas e professores
“Já é uma vitória muito grande”

Cercada pelos troféus que ganhou em festivais nativistas, Luiza conversou com a reportagem em um pequeno intervalo entre as aulas da manhã e as aulas que teria na tarde, na escola que estuda, em Sapiranga. Mesmo com pouca idade, Luiza impressiona pela maturidade com que encara o programa, sua carreira e o atual momento que está vivendo.

Aqui, na sala da tua casa, tu estás cercada por troféus, ganhos em festivais nativistas (são 91, no total). Tens um carinho especial por algum?
Para mim, todos são especiais, cada um tem a sua história. Para ganhar cada um deles, teve muito esforço. Sou apaixonada por todos eles. Mas sempre tem o primeiro, que é especial, que ganhei em um festival de Igrejinha, minha terra natal.

Prestes a te apresentar na semifinal do programa, como está a preparação?
Com muita emoção. E muito ensaio, muita dedicação, muito esforço. Ensaio duas horas por dia, procuro ensaiar todos os dias. E de noite ainda ensaio com meu professor. Quando não tem ensaio com o professor, eu ensaio com o pai e a mãe.

E como concilias a rotina do dia a dia dos ensaios com a escola?
Eu gosto dessa rotina. Quando a gente teve uma pausa (na gravação do programas, nas fases anteriores), eu até estava achando meio chato (risos). Estava acostumada com a correria, desde nova dançando, declamando e cantando em CTG. Gosto bastante disso, mas concilio tudo. De manhã, vou para a aula. À tarde, faço os temas. Depois, é ensaio, ensaio e ensaio (risos).

Como está tua expectativa para a semifinal? Identificas algum adversário mais forte na disputa?
Acho que todos os que estão competindo cantam demais. Todos que já passaram pelo The Voice Kids são muito bons. Só de pensar que milhares de crianças batalharam para estar lá, e ver que eu estou lá, é uma vitória muito grande. E, ainda, no time da Claudia Leitte. Meu Deus do céu, é uma vitória muito grande!

Tua origem é toda nativista, tu cresceste em um CTG, ganhaste muitos prêmios em festivais, tens raízes nativistas. Porém, no programa, tu ganhaste destaque cantando MPB. Qual caminho pretendes seguir?
Pretendo seguir na música, em geral. No momento, estou gostando demais de MPB, mas nunca pretendo deixar o nativismo, que é minha origem, onde eu comecei. Sou muito grata ao nativismo.

Pra dar sorte novamente

Para que amigos e familiares possam acompanhar a performance da gauchinha, e votar em sua permanência, via site do programa, o centro de Sapiranga receberá um telão, neste domingo, a partir do meio-dia, na praça Arlindo Weber, conhecida como a Praça Coberta. No local, será disponibilizado sinal de Wi-Fi gratuito, para que o povo vote na gauchinha.

Fique ligado

— Na fase semifinal, nove talentos (três de cada time) competem por três vagas na final (um de cada time se classifica). Nesta etapa, o público vota pelo site do programa. Com a votação encerrada e sem o resultado, o técnico escolhe uma voz para receber 20 pontos. Aquele que somar o maior número de pontos segue para a final. A grande final está marcada para o dia 14 de abril.


Fonte: GauchaZH

Nenhum comentário