Festival de Cinema de Gramado divulga filmes em competição


Filme ‘Las Herederas’, dirigido por Marcelo Martinessi, aborda questões LGBTQ
Foto: Pandora FilmProduktion


Com curadoria de Rubens Ewald Filho, Marcos Santuario e Eva Piwowarski, o Festival de Gramado, na serra gaúcha, aproxima-se de sua 46.ª edição – de 17 a 25 de agosto –, anunciando uma seleção que alimenta expectativas. O próprio Ewald, um dos profissionais conhecidos do País, disse ontem na coletiva de lançamento do evento, em Porto Alegre – “Hoje o trabalho mais difícil (na seleção) é encontrar espaço para contemplar produções tão diversas e de qualidade. Não há dúvida de que os realizadores querem cada vez mais estar em Gramado, porque sentem que estabelecemos um diálogo muito íntimo com a atual produção cinematográfica.”

Nove longas brasileiros estarão concorrendo aos Kikitos – 10 Segundos Para Vencer, de José Alvarenga Jr., sobre Éder Jofre, interpretado por Daniel de Oliveira, do Rio; O Banquete, de Daniela Thomas, São Paulo; Benzinho, de Gustavo Pizzi, Rio; A Cidade dos Piratas, de Otto Guerra, Rio Grande do Sul; Correndo Atrás, de Jeferson De, Rio; Ferrugem, de Aly Muritiba, Paraná; Mormaço, de Marina Meliande, Rio; Simonal, de Leonardo Domingues, Rio; e A Voz do Silêncio, de André Ristum, São Paulo. A concentração de filmes das regiões Sudeste e Sul não configura propriamente uma tendência. Gramado, em anos anteriores, já privilegiou a produção do Norte/Nordeste.

Os longas latinos serão cinco, e um deles aterrissa em Gramado depois de vencer o prêmio da crítica, o Urso de Prata de melhor atriz e o Prêmio Alfred Bauer, que contempla uma obra por sua contribuição artística, no Festival de Berlim, em fevereiro. É natural que Las Herederas, de Marcelo Martinessi, coprodução entre Paraguai, Brasil, Uruguai, França e Alemanha, que aborda questões LGBTQ+, puxe as atrações da seleção latina.

Os demais quatro filmes são – Averno, de Marcos Loayza, coprodução entre Bolívia e Uruguai; Mi Mundial, de Carlos Morelli, do Uruguai, Argentina e Brasil; Recreo, de Hernán Guerschuny e Jazmín Stuart, também da Argentina; e Violeta al Fin, de Hilda Hidalgo, da Costa Rica e México.

Da competição participam 34 curtas, sendo 20 deles gaúchos, que concorrem ao Prêmio da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. A relação completa está no site do festival – www.festivaldegramado.net.


Fonte: Estadão

Marcadores: ,

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.