Juliano Javoski e esposa sendo recebido em corrientes aonde visitou diversas rádios conquistou novas e reafirmou velhas amizades

 
Esta semana recebi alguns áudios e vídeos do meu amigo e Irmão Juliano Javoski. Como faz anualmente, o grande cantor chamamecero esteve no memorial a Gauchito Gil, no caminho para corrientes e de lá mandou-me verdadeiros documentários da devoção que o povo argentino tem por esta figura, hoje um mito.

Antonio Mamerto Gil Núñez, Gauchito Gil, teria nascido em Pagamento Ubre, hoje Mercedes, Corrientes, possivelmente em 1840, e morreu em 8 de Janeiro de 1878. Ele é considerado o santo gaúcho mais proeminente Argentina.

Relatos populares variam, mas em termos gerais, a lenda diz que Antonio Gil era um camponês e que uma viúva rica se apaixonou, ou teve um caso com ele. Quando o chefe da polícia (que também era apaixonado pela viúva) descobrio sobre seu relacionamento, acusou-o de roubo e tentou matá-lo.

Alistou-se no exército para fugir dele e, após lutar contra o exército paraguaio, voltou para sua aldeia como um herói.

Contudo, voltou para o exército para lutar na Guerra Civil argentina.  Foi uma guerra de irmão contra irmão e Gauchito Gil estava cansado de lutar.  Por isso, ele decidiu pela deserção. Durante esse tempo, ele se tornou um bandido e adquiriu uma reputação como um Robin Hood por seus esforços para proteger e ajudar os necessitados.

No final, a polícia pegou-o na floresta.  Eles o torturaram e penduraram seus pés em uma árvore.  Quando um policial estava indo para matá-lo, "Gauchito" Gil disse a ele: "Seu filho está muito doente. Se você orar e implorar-me para salvar o seu filho, eu prometo a você que ele vai viver. Se não, ele vai morrer..."  Em seguida, o policial matou Gauchito Gil cortando sua garganta.  Isso aconteceu no dia 08 de janeiro de 1878.

Quando os policiais voltaram para a sua aldeia, aquele que havia matado Gauchito Gil ficou sabendo que seu filho estava de fato muito doente.  Muito assustado, o policial rezou a Gauchito Gil para seu filho que acabou ficando bom. Diz a lenda que Gauchito Gil havia curado o filho de seu assassino.
Muito agradecido, o policial deu ao corpo de Gil um enterro apropriado, e construiu um santuário para Gauchito.  Além disso, ele espalhou a todos sobre o milagre.

Gauchito Gil é considerado um santo popular para muitas pessoas das províncias de Formosa, Corrientes, Chaco , no norte de Santa Fé e até a província de Buenos Aires.  Pode-se detectar santuários menores de Gauchito Gil em estradas da Argentina.

Grandes peregrinações são organizadas para o santuário (localizado a cerca de 8 km da cidade de Mercedes ) para pedir favores ao santo.

Além disso, cada 08 de janeiro (data da morte de Gil), há uma celebração em homenagem a Gauchito Gil.  O povo dança, canta e bebe e também pratica esporte folclóricos com cavalos, touros e outros animais.

Embora a igreja católica não reconheça Gauchito Gil como santo, muitos argentinos assim o consideram.
 
 
Túmulo de Gauchito Gil, perto de Mercedes, Argentina


Fonte: blog do Léo Ribeiro
Axact

#ProsaGalponeira

O Prosa Galponeira é um portal voltado para a divulgação da cultura gaúcha, amplamente diversificado, trazendo notícias sobre os festivais nativistas, shows - agenda de artistas, rodeios, eventos em CTGs, MTG e CBTG, artigos culturais, histórias e personalidades marcantes da nossa cultura, entre outras informações e histórias. E-mail: prosagalponeira@gmail.com.

Poste o seu comentário:

0 comments: