Buenas! É só chegar o mês de Setembro que começam os textos nas redes sociais sobre Tradicionalismo, sobre andar pilchado, ouvir música gaúcha e etc... É gente expondo a opinião para todo o lado, o que não vem a ser um problema desde que façam com respeito e com fundamentação. 

Mas por que afinal, implica-se tanto com os Gaúchos (lembrando que Gaúcha é a pessoa que nasce no RS) que aproveitam a Semana Farroupilha em Setembro, mas que não vivem dentro dos CTGs o resto do ano? 

Tentando responder esta pergunta, me deparei com os extremos. 

Primeiro problema são os gaúchos que se fantasiam. Aí sim, tranquilo, aceitável que quem está acostumado a se pilchar ao longo do ano, seja porque dança, laça ou simplesmente frequenta alguns fandangos, estranhe e venha a se manifestar sobre esse “problema”. 

O segundo problema é a falta de preocupação consigo mesmo. Muito Gaúcho dito "tradicionalista" assim se considera por dançar em um CTG, porém, na grande maioria das vezes não passam de dançarinos (e apenas isso). 

Vão para os rodeios com roupas "normais", se pilcham para dançar, e logo após retornam para sua roupa mais "confortável". Não se preocupam em saber fazer um chimarrão, em conhecer um pouco mais da história daquilo que estão dançando e etc... Então preferem gritar aos quatro cantos que são mais gaúchos porque dançam, mas quem sabe não seja bem verdade... 

Será que isso é ser mais tradicionalista do que os Gaúchos que optam por não participar de um CTG, mas que vivem as tradições da sua forma?  

Por que ao invés de gastar tempo e energia reclamando, não toma boas atitudes ao longo do ano, incentivando o culto ao Tradicionalismo Gaúcho? Participe dos eventos, promova outros, vá até as escolas, trabalhe com as crianças... 

Mas não, a velha vontade de reclamar sempre fala mais alto.

Partindo para outra esfera. Já parou para pensar como faz girar a economia do estado? A Semana Farroupilha movimenta muito dinheiro. E não dinheiro só para os lojistas, mas também para o teu CTG!! É uma época que existem mais eventos, mais “chamados” para apresentações e etc... Então qual o problema? Por que reclamar tanto? 

Essas pessoas que tu reclama que só são gaúchos em Setembro são os mesmos que levam os filhos para os acampamentos ver danças, cavalos, brincar... Será que nisso não pensamos? 

Para encerrar, a resposta da pergunta do título. Os Gaúchos de Semana Farroupilha não são um problema, porque fazem parte do nosso estado, e são gaúchos como todos os outros. 

Não podemos impor tradicionalismo em ninguém, e sim, quando os mesmos resolvem procurar o movimento, mesmo que só em Setembro, temos que acolher da melhor forma possível, e assim quem sabe, garantirmos um futuro. Fecho com uma frase do Sr. João Carlos Paixão Côrtes: 

Podemos viver um momento tradicionalista de calção ou de smooking; tradicionalismo não se manifesta exclusivamente na forma de ser, mas principalmente na de sentir, de viver.


Fonte: portal Estância Virtual
Para ver a publicação original, clique aqui.
Axact

#ProsaGalponeira

O Prosa Galponeira é um portal voltado para a divulgação da cultura gaúcha, amplamente diversificado, trazendo notícias sobre os festivais nativistas, shows - agenda de artistas, rodeios, eventos em CTGs, MTG e CBTG, artigos culturais, histórias e personalidades marcantes da nossa cultura, entre outras informações e histórias. E-mail: prosagalponeira@gmail.com.

Poste o seu comentário:

0 comments: