Recuerdos musicais: Conjunto Farroupilha


O grupo era integrado por Danilo Vidal de Castro - Porto Alegre, RS - 1927; Tasso José Bangel - Taquara, RS - 1931; Iná Bangel - Porto Alegre, RS - 1933; Estrêla d'Alva Lopes de Castro - Livramento, RS - 1934 e por Sidney do Espírito Santo - Sorocaba, SP - 1925.

O grupo foi criado em 1948 na Rádio Farroupilha em Porto Alegre. Inicialmente dedicou-se a interpretar um repertório de canções típicas do Rio Grande do Sul. Em 1952 gravaram o primeiro disco pela Copacabana, que foi o quarto LP a ser prensado no Brasil. Em 1956 o conjunto transferiu-se para São Paulo iniciando uma série de excursões pelo Brasil e exterior. No mesmo ano gravaram "A chimarrita", toada em estilo gaúcho de Dilu Melo. Em 1957 gravaram o LP "Gaúchos em hi-fi". Gravaram também no mesmo ano "Gauchinha bem querer" de Tito Madi. Durante vários anos o grupo manteve contrato com a VARIG e com o Ministério das Relações Exteriores, promovendo o Brasil no exterior. Visitaram diversos países, entre os quais a China e a antiga União Soviética. Em cada país visitado, o grupo incorporava a seu repertório uma canção típica para homenagear as plateias locais. Dessa forma foi crescendo o seu repertório internacional, com músicas que depois eram lançadas em seus discos aqui no Brasil, como "Noites de Moscou" e "Liechtensteiner Polka". Em países como a União Soviética, Alemanha e Venezuela, gravaram discos que nem foram lançados no Brasil. O Conjunto Farroupilha foi o primeiro a projetar nacional e internacionalmente a música gaúcha. Lançaram entre outros os nomes de Barbosa Lessa e Paixão Côrtes. Entre seus grandes sucessos incluem-se, "Gauchinha Bem-Querer", "Piazito Carreteiro", "Negrinho do Pastoreio", "Prenda Minha", "Boi Barroso" e "Chimarrita Balão". Nos anos 1960 enveredaram pela Bossa Nova, tendo gravado entre outras, "Por causa de você" de Antônio Carlos Jobim e Dolores Duran e "Moça da chuva" de Paulinho Nogueira e Rita Moreira. Em 1961 gravaram com grande sucesso, "A mesma rosa amarela" de Capiba e Carlos Pena Filho. Também nos anos 1960 mantiveram um programa exclusivo na TV Record de São Paulo. Por volta de 1963, Tasso Bangel e Danilo Vidal criaram a gravadora Farroupilha, a qual passaram a se dedicar. Em 1971 o grupo desativou suas atividades devido aos compromissos pessoais de seus integrantes. Até aquele momento haviam gravado 15 LPs e vários compactos e discos de 78 rpm. Em 1983 voltaram a se apresentar no programa "Som Brasil", mantendo a formação original - Tasso, Danilo e Estrela d'Alva - entrando Norma Nagib e Sabiá. Foram oito meses de ensaio para que o retorno mantivesse a qualidade dos trabalhos anteriormente desenvolvidos pelo grupo. No mesmo ano, lançaram pela RGE um LP, com destaque para as composições "Viagem de Carreta", "Meu Tesouro", "Sal grosso" e "Tempo de rancheira", todas de Tasso Bangel; "Jardim da saudade" e "Amargo", de Lupicínio Rodrigues; "Hino ao Rio Grande" de Simão Goldman; "Minuano" de Arthur Elzner e Ney Messias; e "Gaúcho largado" e "Mariana" de Pedro Raimundo.


Fonte: blog do Léo Ribeiro
Marcadores: , ,

Postar um comentário

[facebook][blogger]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.