Instrumentos Musicais


CORDA

Viola: O mais antigo instrumento musical do estado. A viola é uma guitarra de seis cordas duplas (12 cordas);

Violão: Introduzido no RS durante a Guerra do Paraguai (1865 a 1870), possui seis cordas de náilon ou de aço;

Rabeca: Violino fabricado e tocado de forma folclórica. A execução é a mesma que o violino, mas o instrumento é apoiado no braço ou ombro, e não no queixo. Muito utilizada no litoral norte;

Paleta de ovelha: Pegava-se uma paleta de ovelha e nela se colocavam fios de borracha, funcionando como uma pequena harpa de mão.

PERCUSSÃO

Tambor: Aparece nos Ternos de Reis, no ensaio de Mostardas, nos Maçambiques de Osório e rituais afro-gaúchos;

Triângulo: Usado basicamente nos Ternos de Reis;

Pandeiro: Árabe ou turco, marca o ritmo nos fandangos gaúchos;

Agê: Piano de cuia, de origem africana. É usado como chocalho.

SOPRO

Carona enrolada: Era uma espécie de corneta com som rouco e lamentoso, assim como o berrante dos boiadeiros paulistas;

Flauta: Instrumento de guri. Pode ser feita de taquara ou metal;

Gaita de boca: Um dos mais populares instrumentos gaúchos, usado pelo guri campeiro;

Pente-de-boca: Um pente comum, revestido de pape de seda, onde o tocar encosta-o nos lábios, soprando de maneira especial e modulando a música com a boca;

Gaita ou acordeão: Inventada por Damien Buschmann em 1829. A gaita de botão ou gaita ponto foi introduzida no RS durante a Guerra do Paraguai, e a gaita piano veio com os colonos italianos.



Fonte: blog Cantinho Gaúcho, de Carolina Bouvie
Marcadores: ,

Postar um comentário

[facebook][blogger]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.