Sobre o museu Júlio de Castilhos

Único museu público sobre a história do Rio Grande do Sul, o Julio de Castilhos se afirma como símbolo de decadência do patrimônio cultural gaúcho. Está fechado desde janeiro – e você talvez nem tenha notado, o que já é sintomático.
 
Sem manutenção preventiva, tratado com desleixo por sucessivos governos, o museu mais antigo do Estado acabou interditado porque qualquer chuva inundava tudo. Virou um elefante branco combalido por paredes descascadas, piso escangalhado, infiltrações e problemas elétricos.
 
A entrada exibe hoje um manequim de loja e uma faixa de plástico onde se lê "Brechó do Julio". Quem teve a ideia da lojinha foi a Associação dos amigos do Museu, que conta com 11 sócios bem intencionados atrás de recursos para trocar lâmpada, coisa que o Estado não faz.
 
- O brechó é uma forma de combater um descaso crônico e muito antigo - justifica o presidente da associação, Thiago Araújo.
 
Pois bueno.
 
Diante de tal quadro desolador e na tentativa de fazer algo por esta casa memorial tão preciosa para nós, gaúchos, e para não ficar só criticando e permanecer inertes ante a situação, meu amigo Jeandro Garcia e eu revolvemos contatar o pessoal do museu para ver de que forma poderíamos ajudar.
 
A resposta ao e-mail do Jeandro, enviado também em meu nome, está na postagem abaixo.
 
 
 
 Prezado Senhor Jeândro Garcia
 
É com máxima satisfação que recebemos seu contato e interesse de contribuir com o Museu Julio de Castilhos.
 
Neste momento estamos profundamente envolvidos com a produção da próxima exposição que marcará a abertura do museu para uma nova fase de gestão.
 
Esta exposição está sendo projetada para abrir no próximo dia 16 de maio, terça feira, a partir das 18:30 horas às 21hs.
 
Sintam-se os senhores desde já convidados para este momento importante de confraternização.
 
Posterior à este momento, faço questão de agendarmos uma reunião dedicada à construção de um plano de ação voltado à fortificar este museu de fundamental importância à preservação da memória dos grandes nomes de nossa história e tradição, causa que certamente compartilhamos, como muito bem o senhor se referiu.
 
Desde já agradecendo iniciativa e certa da possibilidade de uma futura frutífera parceria.
 
Atenciosamente,
 
Gabriela C. Silva
Diretora
 
Museu Julio de Castilhos
Fone: (51)32213959
Duque de Caxias, 1205/1231
Centro Histórico
Cep 90010-283-Porto Alegre


Fonte: blog do Léo Ribeiro
 
Marcadores: ,

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.