Page Nav

HIDE
GRID_STYLE

Post/Page

Weather Location

Classic Header

{fbt_classic_header}

Header Ad

Últimos chasques:

latest

Orgulhosos, 'Querencianos' comemoram as dez vezes no Topo da Lista Destaques

Perguntam: O que é necessário para estar no 'topo' da lista destaques? Simples. Ser uma entidade ativa, participativa, envolvida, entrosada, criativa, cultural, enfim, funcionar bem seus departamentos.

Pois o CTG Sentinela…


Perguntam: O que é necessário para estar no 'topo' da lista destaques? Simples. Ser uma entidade ativa, participativa, envolvida, entrosada, criativa, cultural, enfim, funcionar bem seus departamentos.

Pois o CTG Sentinela da Querencia, da cidade de Erechim, 19ªRT, chegou lá 10 vezes. Sim, em 2002, quando começou, até 2007. Não figurou de 2008 a 2012, mas retornou de 2013 a 2016, assinando a liderança das entidades com maior pontuação.

7ªRT vem fazendo um trabalho forte

Já a 7ª RT, da Coordenadora Gilda Galeazzi, vem em uma crescente com suas entidades. Foram 12 que já chegaram ao topo dos 200 pontos.

CTG FELIPE PORTINHO, de MARAU, 4 vezes;
CTG LALAU MIRANDA, de PASSO FUNDO, 4 vezes, também;
CTG SENTINELAS DO PAGO, de MARAU, 3 vezes;
CTG MOACIR MOTTA FORTES, de PASSO FUNDO, 3 vezes;
PIQUETE PAI JOÃO, de ÁGUA SANTA, 2 vezes;
CTG GALPÃO AMIGO, de NÃO ME TOQUE, 2 vezes;
CTG OSÓRIO PORTO, de BOQUEIRÃO, 2 vezes;
CTG PORTEIRA DA QUERENCIA, de SARANDI, 1 vez;
CTG LAÇO DA AMIZADE, de CASCA, 1 vez;
DT SIMPASSO, de PASSO FUNDO, 1 vez;
CTG PRESILHA SERRANA, de SÃO DOMINGOS DO SUL, 1 vez;
CTG MANOEL TEIXEIRA, de TAPEJARA, 1 vez.

A 4ª RT, da Coordenadora Ilva Goulart tem o segundo maior número de entidades que chegaram aos 200 pontos, cinco. Duas entidades que "arrancaram" bem e depois pararam foram o Prenda Minha, de Bagé, e o Gauderio Serrano, de Bento Gonçalves.

O CTG Laço Velho, onde será o Congresso, e o CPF Piá do Sul, de Santa Maria, vem no encalço do Sentinela da Querencia, de Erechim, pois cada um tem sete chegadas ao topo da lista.

Fica o desafio para aqueles que querem ver seus CTGs funcionando "a mil", com departamentos ativos. Isso não da trabalho demais para ninguém. Não precisa recursos financeiros públicos, não precisa extenuar o patrão. Basta fazer os departamentos cumprirem metas que se chega lá. E um belo desafio interno, tipo rodeio interno do CTG, pode ajudar.


Fonte: blog do Rogério Bastos

Nenhum comentário

Ads Place