Geda faz estreia nacional de Às Vezes eu Kahlo no Teatro Sesc Canoas


Geda faz estreia nacional de 'Às Vezes eu Kahlo' no Teatro Sesc Canoas neste sábado (15)

Montagem inspirada na vida da pintora mexicana marca as comemorações dos 35 anos de um dos mais atuantes grupo de dança contemporânea do Rio Grande do Sul


Frida Kahlo, como ficou conhecida, Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon (Coyoacán, 1907-1954), foi uma das mais importantes figuras da arte no século XX e uma das personagens mais significativas no âmbito político e cultural no México. Sua saúde frágil devido aos muitos traumas sofridos, o conturbado casamento com o pintor Diego Rivera, a impossibilidade de gerar filhos, sua atuação social, seus relacionamentos amorosos, se refletem em sua vigorosa pintura, tornando-a uma mulher controversa e referencial. Este universo rico de possibilidades serve de inspiração para o espetáculo, "À Vezes eu Kahlo", que a GEDA Cia de Dança Contemporânea estreia no próximo dia 15 de setembro, sábado, às 20h, no Teatro Sesc Canoas.

Concebido e dirigido pela coreógrafa Maria Waleska van Helden, a montagem tem no elenco a bailarina-intérprete, Graziela Silveira, e marca as comemorações dos 35 anos de ininterrupta atuação da companhia de dança contemporânea, uma das mais atuantes e premiadas do Rio Grande do Sul. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do teatro (Confira o Serviço).

Partindo da imobilidade de Frida Kahlo, colhendo gestos contemporâneos, "Às vezes eu Kahlo" tem foco no período em que Frida foi compulsoriamente paralisada em sua cama pelo grave acidente que sofreu, tornando-se uma mulher ágil, criativa, determinada a prosseguir em sua trajetória. Frida constrói uma personalidade admirada e icônica em nosso século. O espetáculo de dança contemporânea intenciona incorporar e traduzir, ao extremo, as cores e dores de Frida e toda a sua "imobilidade móvel" emoldurada pela própria inquietação.

Segundo Maria Waleska, "a montagem tem como ponto de partida um aspecto não tanto explorado dentro desta avalanche de produtos comercializados, como canecas, camisetas e outros objetos, trazendo a imagem desta mulher, e observa: "Frida é revelada nesta obra pela intensa resiliência e submissão ao amor de Diego Rivera. A soma das dores, o acúmulo das amputações, as transgressões emocionais e o prazer físico, perpassam pelo filtro de pequenos lutos que fazem o alicerce desta personagem transformando-a em mulher revolucionária".

Sobre a companhia

A GEDA Cia. de Dança Contemporânea foi fundada em 1983 pela coreógrafa Maria Waleska van Helden e teve marcante atuação, inicialmente, no Interior do Rio Grande do Sul, na Região da Fronteira-Oeste, divulgando este gênero de dança. Em 2000 a companhia estabeleceu-se em Porto Alegre, desenvolvendo um trabalho de dança contemporânea e dança-teatro. Entre suas premiadas montagens, que englobam interferências, performances e espetáculos, estão: Piscina (2002), Traição (2003), Idas e Vindas (2003), Pop (2006), Tic Tac (2006), Esconderijos do Tempo (2006), Corte (2009); Il faut trouver chaussure á son pied (2011); Projeto Altos e Baixos (2012) ; Cem Metros de Valsa e Um Grama (2011 - Prêmio Açorianos de Dança); Não me toque estou cheia de lágrimas - Sensações de Clarice Lispector (2012); Verde (In) Tenso (2016). Destacam-se, ainda, o projeto Todas as Estações em Movimento, formada pelas coreografias: Inverno (2007), Outono (2007), Primavera (2008) e Verão (Mar-Íntimo/2010). Ao longo deste período, a companhia contribuiu para a formação de várias gerações de bailarinos e realizou trocas significativas com outros diretores, tendo seu talento reconhecido em diversas capitais no Brasil, e no Exterior (Espanha, Cuba, Bélgica, Argentina).

Teaser do espetáculo:
https://drive.google.com/file/d/1RaOJ5IovriGz6K21K8cWyP7cyht8MAxz/view

Canais da companhia:
http://gedaciadedanca.blogspot.com
gedaciadedanca@gmail.com

Ficha Técnica
Concepção, Coreografia e Direção Geral: Maria Waleska van Helden
Dramaturgia do Corpo: Denis Gosch
Técnica do Movimento: Luciana Dariano
Bailarina-intérprete: Graziela Silveira
Bailarina dublê: Clarissa Gomes
Trilha Sonora Original e Operação de Som: Vitório O. Azevedo
Participação Especial na trilha sonora: Giovanni Capeletti
Desenho e Operação de Luz: Carol Zimmer
Criação e Projeção de Vídeos: Fernando Muniz e Paula Pinheiro
Cenógrafo e Figurinista: Antonio Rabadan
Pesquisa: Maria Waleska van Helden e Consuelo Vallandro
Texto: Consuelo Vallandro
Fotografia: Sabrina van Helden
Voz em off: Arlete Cunha
Assessoria de Comunicação: Silvia Abreu Consultoria Integrada
de Marketing
Produção Administrativa: Joice Rossato / Aresta Cultural
Produção Executiva: Ana Paula Reis / Bendita Cultura
Realização: Kapsula Produções Culturais
Agradecimentos; Equipe da Casa de Cultura Mario Quintana, Theatro São Pedro, Laboratório da Dança, Companhia Del Puerto, Livraria e Papelaria Kaçula
Apoio Cultural: Fecomércio RS | Sesc

Classificação 12 anos
Duração: 40 min

SERVIÇO:
Quem: GEDA Cia de Dança Contemporânea
O Quê: "Às vezes eu Kahlo", estreia nacional do espetáculo de dança contemporânea.
Quando: Dia 15 de setembro de 2018, sábado, 20h
Onde: Teatro Sesc Canoas | Av. Guilherme Schell, 5340 | Centro | Canoas-RS
Quanto:
- R$ 10,00 - para pessoas que possuem o Cartão Sesc/Senac na categoria Comércio e Serviços
- R$ 11,00 - para a classe artística, estudantes, pessoas acima de 60 anos e doadores de sangue;
- R$ 11,00 - para professores
- R$ 15,00 - pessoas que possuem o Cartão Sesc/Senac na categoria Empresários;
- R$ 22,00 - para o público em geral.

Vendas online:
https://m.facebook.com/events/285492885560527?view=permalink&id=304643863645429

Para a obtenção de desconto é obrigatório a apresentação de documento comprobatório.


Assessoria de Imprensa: Silvia Abreu (MTB 8679-4)

Marcadores: ,

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.