Semana do Folclore: Questões frequentes


Hoje vamos falar de questões frequentes que vem a tona na semana do folclore, mas que se apagam depois. Dante de Laytano escreveu que eram necessários ajustes para que o folclore fosse levado a sério. Entre as fases que ele pensava incluía-se:

Escola de Folclore: Uma escola superior de folclore foi criada com êxito e frequência notável pelo Instituto Gaúcho de  folclore, órgão estatal, na divisão de Cultura que existiu na Secretaria de Educação e Cultura. Foi uma escola de fato pioneiro, com resultados de méritos inigualáveis prestando o serviço dos mais dignos a valorização do folclore. Dirigiu a escola o próprio diretor do Instituto Gaúcho de Folclore Carlos Galvão Krebs.

Curso de Folclore Palestrina: Um curso periódico, em número determinado de aulas, em 2 ou 3 meses anuais, foi instituído já em caráter semi-permanente pelo então Liceu Musical Palestrina, que assim abriu caminho para associar o folclore, não sua música, estabelecer as normas de trabalho para um detido apanhado do folclore como elemento histórico, antropológico, sociológico ou etnográfico. Um folclore que se apoiasse numa antropologia cultural para que servisse, o folclore, sob um ângulo mais variados além do musical que vinha se usando nas escolas de música na educação física.

E, em uma segunda fase, a criação de um Gabinete de Pesquisa em Folclore e um curso de pós graduação em folclore na Faculdade Palestrina, que aconteceu e que mudou uma época. Disciplinas do curso de pós-graduação:
- Introdução a antropologia cultural
- Fundamentos da cultura popular brasileira
- Metodologia da pesquisa folclórica
- Teoria geral do folclore
- Gêneros e formas na música popular brasileira
- Festas e folguedos
- Religiões populares no Brasil
- Arte Popular Brasileira
- Folclore infantil brasileiro
- Introdução ao folclore Gaúcho
- Linguagem popular brasileira

Alguns professores:
Maria Eunice Rocha, Hélio moro Mariante, Ernani Lampert, Lilian Argentina Braga Marques, Glaucus Saraiva, Paixão Côrte,s Moacyr Flores, Antônio Augusto Fagundes Hilda Stein Rose Mari dos Reis García


Fonte: blog do Rogério Bastos
Marcadores:

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.