Antes de partir: você gostaria de saber o dia de sua morte?



 Uma pesquisa elaborada nos EUA apontou que 94% dos entrevistados disseram NÃO. Não gostariam de saber o dia de sua morte.

Toco neste assunto meio macabro porque nesta vida de aposentado me sobra tempo para ver alguns filmes, inclusive da Sessão da Tarde rsrsrsrsr.......

Pois nesta semana assisti a um filme intitulado ANTES DE PARTIR que toca justamente neste tema. Dois homens até então desconhecidos, enfermos de um mesmo quarto de hospital, acabam sabendo que ambos não tem mais do que seis meses de vida devido a um câncer terminal.

Um destes homens (ator Jack Nicholson) é rico. Viveu para arrecadar patrimônio. O outro (ator Morgan Freeman) é pobre e trabalhou a vida inteira para dar um pouco de conforto para sua família.

Diante da triste notícia de que não teriam muito a viver, combinaram de fazer tudo que tinham vontade e não o fizeram durante sua existência. Coisas como saltar de para-quedas, dirigir numa pista carros de corrida, safári na África, fazer as pazes com um filho com quem não conversava há anos...

Em cada lugar que chegavam discutiam sobre o dom da vida, sobre Deus. Sobre, reencarnação, ser enterrado ou ser cremado... O mecânico (Morgan Freeman) tinha fé, o milionário (Jack Nicholson) era ateu. Diante das Pirâmides leram uma pergunta que os Deuses egípcios fazem aos seus mortos ao entrar num outro plano: - Você encontrou alegria na sua vida? Você proporcionou alegria aos outros?   

Ao cabo de alguns meses e muitas "loucuras" voltaram para o seio de suas famílias que são, de tudo, o mais importante,  para morrer em paz. Como último desejo os dois foram cremados, suas cinzas colocadas numa lata de café e enterradas lado a lado no alto das montanhas do Himalaia. 

Não precisam nem ver o filme pois já contei o final.

Mas porque estou fazendo referência a tudo isto, agora? Simples. Para alimentar um questionamento: Por que vamos esperar saber o dia da nossa morte para visitar um amigo, tomar um mate ao final da tarde, beijar quem se ama, ajudar um desconhecido sem esperar nada em troca, rir até chorar....

Por que vamos passar nosso tempo tão curto nos estressando por miudezas políticas, discutir, ofender e se intrigar por... largura de bombacha?!     

Foto e Texto: Léo Ribeiro
Fonte: blog do Léo Ribeiro
Marcadores:

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.