Papai Noel de bombachas?


Para muitas pessoas, dentre as quais eu me incluo, e com todo o respeito para com quem pensa diferente, a figura do Papai Noel, da forma como está, não precisaria existir. De bombachas, guaiaca, lenço e chapéu, então, como querem fazer por aí em alguns Natais Gaúchos, pior ainda.

Na Argentina já existe um movimento para “destronar” o bom velhinho, tudo em face de que o bonachão de vermelho tornou-se mais conhecido do que o próprio menino Jesus, que deveria ser a figura central do natal.

E aí é que está o perigo. O mercantilismo e o comércio, superaram o espírito que deveria predominar em 25 de dezembro. O dia de alegria, de reflexão, de fraternidade, deu lugar á troca de presentes.

Mas voltemos ao Papai Noel de bombachas. Temos que vivenciar o natal de acordo com nossas tradições cristãs e familiares, cultuando o presépio, os cânticos, as orações e a real representatividade que a data significa. Nada mais além disto.

No entanto, admitindo e respeitando a figura do Papai Noel, devemos entender que ele não é “cria” nossa, não pertence ao nosso clima, região e cultura. Agauchar o Papai Noel é colocar nossos costumes num corpo alheio, estranho. Estaríamos desmistificando um personagem que, embora universal, foi criado a partir de seu ambiente e com seus propósitos.

Com simplicidade, esperança e união, façamos desta data o que ela requer. Na humildade de uma manjedoura, na riqueza da presença de amigos e familiares.


Fonte: blog do Léo Ribeiro
Marcadores: ,

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.