Batalha do Pulador em Santo Augusto


Por falta de recursos financeiros em Passo Fundo, a tradicional encenação da Batalha do Pulador não foi realizada  neste município neste ano. Em 2014 ela também não aconteceu por falta de verbas. A pequena cidade de Santo Augusto comprou a ideia, organizou patrocinadores e viabilizou o evento, que tradicionalmente acontecia em Passo Fundo, onde o fato real ocorreu.
 
Os Cavaleiros do Mercosul foram convidados para encenar a Batalha do Pulador no município de Santo Augusto, a 134 quilômetros de Passo Fundo. O evento foi nesse domingo (24). Santo Augusto também foi palco de um confronto entre Chimangos e Maragatos, em 1923. O campo de batalha, o Cemitério dos Degolados, é hoje ponto histórico turístico. Lá a cidade se organizou e levantou a verba necessária para o evento, inclusive os custos com uma equipe que se deslocou desde Passo Fundo. Aos passo-fundenses, resta a possibilidade de sair da cidade onde ocorreu a batalha original para ver a encenação em um município distante, mas que conseguiu as verbas.
 
Catto contou à Uirapuru que não é barato montar toda a infraestrutura do espetáculo no Pulador, mas acredita que o evento retorne com força em 2018, com o apoio do Poder Público. A ideia é de que a encenação possa ser feita até mesmo no Parque de Rodeios da Roselândia. Destacou que a suspensão em Passo Fundo não vai impedir que o grupo conte para o povo um pouco do que aconteceu na nossa terra.
 
A encenação retrata um dos episódios mais importantes da história dos gaúchos. A Batalha do Pulador ocorreu há 123 anos na localidade de Pulador, hoje distrito de Passo Fundo, onde cerca de 4.500 homens, maragatos e pica-paus, travaram um violento combate durante seis horas, que resultou em aproximadamente 1.000 mortos. A batalha colaborou para o enfraquecimento definitivo dos maragatos, que foram obrigados a assinar o tratado de paz um ano depois.

Fonte: Rádio Uirapuru
Colaboração: Hilton Araldi

Fonte: blog do Léo Ribeiro
Marcadores: ,

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.