A TV OVO que criar uma página online para hospedar crônicas relacionadas ao Coração do Rio Grande.

O cantor nativista Luiz Marenco quer produzir o próximo disco de maneira independente.

E a Chilli Produções Culturais quer continuar com um projeto que leva arte e cultura gaúcha a escolas por meio de aulas de gaita.

Essas três atividades podem se concretizar se várias pessoas abraçarem essas causas e colaborarem com as campanhas de financiamento coletivo que estão rolando pela internet.

Se tudo der certo, Luiz Marenco vai gravar CD e DVD para celebrar as três décadas de história. A produção será no galpão de pedra, em sua propriedade, em Santana da Boa Vista, onde o artista guarda parte de sua história. Para isso, ele lançou sua campanha de financiamento coletivo no site kickante.com.br e busca arrecadar R$ 200 mil para realizar a produção.

Conforme César Cattani, produtor de Marenco, a meta é simbólica, e qualquer valor arrecado vai contribuir para a gravação, que será realizada mesmo que a meta não seja atingida. O maior objetivo da campanha é aproximar os fãs do artista.

As contribuições podem variar de R$ 50 a R$ 10 mil e as recompensas são diversas. Quem ajudar na campanha vai garantir o CD e DVD, que será gravado ainda esse ano, além de objetos exclusivos, relacionados a canções, como o guarda-chuva Batendo Água, o saca-botas Pra Assoviar Desencilhado, a badana Cansando o Cavalo, a alpargata Chão Batido, camiseta, botas, e até uma serenata do gaudério por telefone.

Além disso, os fãs que colaborarem com os maiores valores vão garantir um show acústico e intimista do Marenco em sua casa (R$ 5 mil), e dois cepos (bancos rústicos) personalizados, para duas pessoas assistirem a uma noite de gravação do DVD no galpão da casa de Marenco, com assado madrugueiro e hospedagem em Santana da Boa Vista (R$ 10 mil).

Até a sexta-feira, dia 7, a campanha já contava com a ajuda de 404 pessoas e somava uma quantia superior a R$ 52 mil. A arrecadação chega ao fim no dia 19 de julho.

A Chilli Produções Culturais acredita que a música tem um poder transformador na vida das pessoas que se deixam envolver por ela. E foi acreditando nisso que criou o projeto Arte e Cultura Gaúcha nas Escolas. Nele, cerca de 70 crianças e adolescentes de seis escolas públicas de Santa Maria têm a oportunidade de aprender, semanalmente, a tocar gaita, um instrumento totalmente ligado ao Rio Grande.

O projeto começou com financiamento da Lei de Incentivo à Cultura de Santa Maria (LIC), patrocínio da Eny e do Sicredi e, agora, busca o apoio para ter continuidade. A campanha Sonho de Gaiteiro (catarse.me/sonhodegaiteiro) tem como meta arrecadar R$ 46,5 mil para comprar gaitas de 8 e 48 baixos para os pequenos talentos. Conforme Rose Carneiro, produtora cultural responsável pela Chilli, a ideia inicial é comprar, pelo menos, 20 gaitas.

– É a oportunidade de seguirem se aperfeiçoando e treinando com o instrumento também em casa, para podermos dar sequência prática a este projeto, que já está mudando a forma dessas crianças e adolescentes enxergarem o mundo – acredita Rose.

Os valores doados podem variar de R$ 30 a R$ 1,5 mil. Entre as recompensas,camisetas, kits, vídeo dos pequenos tocando e até um concerto dos gaiteiros. Até sexta-feira, sete pessoas já haviam colaborado e o valor arrecadado estava em R$ 840. As doações podem ser feitas durante todo o ano.

O projeto da TV OVO se chama Cronicaria e tem como objetivo arrecadar R$ 12 mil para criar um site que vai hospedar crônicas relacionadas à Cidade Cultura, escritas pelo jornalista veterano Marcelo Canellas, e pela estudante de jornalismo Manuela Fantinel. As colaborações, que vão de R$ 10 a R$ 300, devem ser feitas no site catarse.me/cronicariatvovo até 8 de agosto. Entre as recompensas, textos, ilustrações e até poder sugerir temas aos autores.

Até a tarde de sexta-feira, 19 pessoas haviam colaborado com a campanha, somando R$ 2,3 mil em doações. Se o montante for captado na íntegra, serão 40 crônicas publicadas de 16 de agosto até 30 de dezembro.

De acordo com a produtora cultural e jornalista Neli Mombelli, a proposta do Cronicaria surgiu em meio à Feira do Livro 2017, nas conversas da equipe da TV OVO com Canellas, que foi patrono da festa literária. A ideia era criar algo que relacionasse jornalismo e literatura.

– Isso sem esquecer o papel que a TV OVO tem em Santa Maria, que é compor o movimento de debate e reflexões sobre nossa cidade. E nada melhor do que a crônica para esse fim – acredita Neli.

Conforme o site da campanha, o valor arrecadado financia o projeto por quatro meses e meio, assim, 50% do montante será para o pagamento dos cronistas (R$ 2 mil para a Manuela e R$ 4 mil para Canellas). Outros 33%, R$ 4 mil, será a para o desenvolvimento da página do Cronicaria e para o gerenciamento do projeto, que ficará a cargo da TV OVO. Além disso, 13%, (o que equivale a R$ 1.560), é relativo a taxa da plataforma Catarse, e 4% (R$ 440), para o envio das recompensas (crônicas dos jornalistas e ilustrações cedidas por Elias Machado, que vai contribuir para o projeto).

Caso não atinja a meta, o projeto será readequado, mas será realizado. O mesmo ocorre se o valor ultrapassar o montante solicitado, neste caso, o número de crônicas vai aumentar e elas continuarão a ser publicadas nos meses seguintes

Para saber mais, clique aqui.

Fonte: Diario de Santa Maria
Axact

#ProsaGalponeira

O Prosa Galponeira é um portal voltado para a divulgação da cultura gaúcha, amplamente diversificado, trazendo notícias sobre os festivais nativistas, shows - agenda de artistas, rodeios, eventos em CTGs, MTG e CBTG, artigos culturais, histórias e personalidades marcantes da nossa cultura, entre outras informações e histórias. E-mail: prosagalponeira@gmail.com.

Poste o seu comentário:

0 comments: