A grande maioria de nossas crendices herdamos de Portugal, onde o povo apesar de muito religioso acredita em muitas coisas que a lógica ou a racionalidade não explicam.

No meio rural é crença generalizada que a lua tem influência direta em toda a atividade humana, especialmente na lavoura, na pecuária, no clima, nas chuvas e até mesmo na vida do homem.
ara quem lida com plantações, as fases da lua devem ser cuidadosamente observadas.

Na crescente, como a palavra já diz, tudo cresce, particularmente as plantas de cima da terra, porque as debaixo da terra (batatas, aipim,e outros tuberculos) vingam melhor na minguante.

É também na minguante que deve ser cortada a madeira para ser utilizada na cnstrução de casas ou na fabricação de móveis. Isso evita o caruncho na madeira. É também a lua indicada para enfrenar e castrar animais, pois os mesmos estarão menos sujeitos a hemorragias e sangramentos.

Para obter frutas saborosas as mudas de árvores devem ser plantadas dois ou três dias antes da lua cheia.
Tudo que é plantado na nova de agosto floresce rapidamente, logo, é a lua boa para plantar flores e ruim para hortaliças que devem ser cnsumidas antes da floração.

Legumes de cabeça (repolho, alface e outros devem ser transplantados na minguante e as folhosas (couve, radiche, espinafre etc.) na nova.

Quem cria aves deve cuidar para que o nascimento dos pintos não ocorra na minguante. Se forem colocados "no choco" na minguante os ovos "goram" e perde-se a ninhada. A influência da lua e das tempestades no choco é neutralizada por um prego enferrujado ou pedaços de carvão colocados no ninho.

Para o cabelo crescer rapidamente deve ser cortado na nova, crêem alguns, outros acreditam que é na crescente. É consenso  geral que quem tem muito cabelo e não quer que cresca logo deve cortar na minguante.

Em algumas regiões acredita-se que nas sextas feiras de lua cheia aparecem lobisomens.

Em grupos mais primitivos acredita-se no maleficio da lua em relação à mulher grávida. Esta não deve dormir banhada pelo luar, pois o filho nascerá "aluado", "fraco da cabeça", (com problemas mentais). Para que a criança cresça forte e sadia é costume apresentá-la à lua e convidá-la para madrinha do bebe, que passará a chama-la de "dindinha lua" e lhe pedirá a benção.

Não se deve deixar as fraldas do recém-nascido no varal à luz do luar pois este terá colicas. Se isto acontecer, a mãe com o filho nos braços o mostra para a lua e reza esta oração; "Lua, luar, me deste este filho e me ajuda a criar".

A lua também é consultada na previsão do tempo. "Lua nova trovejada, toda ela é molhada", se chover durante a nova de abril todo inverno será chuvoso. Se estiver chovendo quando a lua cheia deve aparecer, a chuva para, pois "lua cheia come a chuva".

"Quando míngua a lua não comeces coisa alguma", é um ditado popular que aconselha a não iniciar tarefa na minguante.

É crença que a lua atende pedidos. Para obter-se algo que se deseje, deve-se fazer esta oração com muita fé olhando para a lua nova.

"Deus te salve lua nova/ Deus te dê um bom crescente/ da próxima vez que vieres/ Traga-me este presente (faz-se o pedido)


Fonte: blog da Comissão Gaúcha de Folclore
Axact

#ProsaGalponeira

O Prosa Galponeira é um portal voltado para a divulgação da cultura gaúcha, amplamente diversificado, trazendo notícias sobre os festivais nativistas, shows - agenda de artistas, rodeios, eventos em CTGs, MTG e CBTG, artigos culturais, histórias e personalidades marcantes da nossa cultura, entre outras informações e histórias. E-mail: prosagalponeira@gmail.com.

Poste o seu comentário:

0 comments: