Deixei para escrever bem depois. Podia ter escrito no domingo, mas preferi ler um pouco o que a “sábia internet” podia dizer do assunto. A segunda temporada do “The Voice Kids” revelou algo que nem os mais otimistas esperavam: Thomas Machado, de Estancia Velha, é o campeão!

O gauchinho disputou a final do reality com mais duas grandes vozes: Juan Carlos e Valentina Francisco, que cantaram muito. Ao seu modo. E no domingo 2 de abril, Thomas foi eleito por 52,48% da preferencia  do público. Ivete Sangalo, sua técnica, correu até o palco para encher Thomas de carinho.

Nas redes sociais as mais diversas opiniões dos entendidos. Até o MTG, que não se manifestou, mas, ao longe admirava o trabalho do pequeno Thomas, era criticado. Que mania.

Pilcha: Ele foi fiel à sua criação e à sua cultura. Não tirou em nenhum momento sua marca registrada: O amor pelo seu estado externado em sua indumentária. Não que os demais que cantaram foram menos gaúchos que ele. Mas, ele mexeu com o sentimento do povo. Isso foi diferente de qualquer outra oportunidade já vista. Thomas uniu um sentimento gaúcho pelo Brasil. Não se tem duvidas disso. Se as outras crianças não usaram pilcha, não tem problema, respeitemos e lembremos que elas foram criadas dentro de CTGs e se orgulham disso. Respeito, essa é a palavra.

As músicas: Os “entendidos” queriam que ele cantasse musica regional. Não funciona assim. Uma lista de músicas que a produção entrega para escolher qual será cantada. O que tornou a vitória dele maior ainda. Mas o Thomas é iluminado. No fantástico cantou o que? Querência Amada, de Vitor Mateus Teixeira.

O MTG: Claro que o MTG acompanhou as apresentações, por que o Movimento somos nós. Nós, que o fizemos. Nós, que falamos. Nós, que agimos. Se estava certa ou errada a pilcha... Vamos deixar para os entendidos das redes sociais analisarem, culparem, executarem.

O importante é que o Thomas e sua família honraram o nosso estado e, mais: Inauguraram um novo momento na representação da imagem do gaúcho. Não temer um programa nacional, em uma grande rede, deu uma lição igual a que o catarinense, Pedro Raymundo deu ao Brasil: Ousou usar a roupa característica do sul do país e deu aula para, nada mais nada menos, que Luiz Gonzaga, que passou usar a roupa de vaqueiro nordestino.

A Lição: Para aqueles que tiraram a pilcha para que sua música ganhasse o país... e voltaram pra casa para usa-la novamente a lição do pequeno Thomas: Sejas verdadeiro. Sejas tu mesmo. Foi assim que ele ganhou o Brasil.

Sócrates: “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás os Deuses e o Universo” – na entrada do Oraculo de Delphos está a lição.

E o Jadirzinho, como sempre, definiu tudo e muito bem em seus versos:

VERSOS PRA THOMAS MACHADO
Jadir Oliveira Filho
As vezes fico pensando
Onde se acerta ou se erra
Tão fazendo um pé de guerra
Por causa de um piá cantando
Já vi gente se xingando
E com isso até me comovo
Thomas é um talento novo
Daqueles que igual não tem
E se canta mal ou bem
Quem decidiu foi o povo!

Quando se escolhe cantar
Seja povoeiro ou gaudério
Jamais esqueça o critério
Da aclamação popular
Todos podem opinar
Todos tem esse direito
Só uma coisa eu não aceito
Porque não tem fundamento
É trocarem o argumento
Pela falta de respeito

E eu respeito as divergências
Cada um tem sua opinião
Cada qual tem sua razão
Através de sua vivência
Mas um pouco de paciência
Pra escutar o que o outro diz
Sustenta a nossa raiz
E nos acalma o coração
Larguem dessa dessa discussão
E deixem o piá ser feliz

No mais, eu achei bagual
Um guri de alma campeira
Abraçado na bandeira
Em plena rede nacional
Confundem e levam a mal
O "bairrismo" exagerado
É só um povo emocionado
Que se vestiu de esperança
Através de uma criança
Chamada THOMAS MACHADO!


Fonte: blog do Rogério Bastos
Axact

#ProsaGalponeira

O Prosa Galponeira é um portal voltado para a divulgação da cultura gaúcha, amplamente diversificado, trazendo notícias sobre os festivais nativistas, shows - agenda de artistas, rodeios, eventos em CTGs, MTG e CBTG, artigos culturais, histórias e personalidades marcantes da nossa cultura, entre outras informações e histórias. E-mail: prosagalponeira@gmail.com.

Poste o seu comentário:

0 comments: