Oito curiosidades sobre o Tradicionalismo Gaúcho

Foto: Estampa da Tradição Fotografia


1) O Movimento Tradicionalista Gaúcho iniciou, de forma organizada, a 50 anos. Foi fundado oficialmente em 28 de outubro de 1966, é uma entidade civil, com personalidade jurídica e se caracteriza como de direito privado, sem fins lucrativos, com circunscrição em todo território nacional e com número ilimitado de sócios, sob a denominação de filiados;

2) O MTG não prega uma ideologia qualquer. Ele é regido pela "Carta de Princípios", - leia aqui - uma diretriz filosófica que tem a função de nortear e orientar as atividades do Movimento, através de suas Regiões e entidades filiadas;

3) A pilcha que usamos tem milhões de regrinhas a serem respeitadas. Entre tantas, existem tipos de indumentária conforme a época a qual queremos representar, tendo assim, normas a serem respeitadas de acordo com cada uma delas. Existe a pilcha campeira, artística/social, a pilcha para prática de esportes e as de época, que são chiripá primitivo, traje de estancieiro, chiripá farroupilha... Ficou confuso? Calma! O MTG tem tudo explicadinho em suas diretrizes de indumentária e em nota de instrução, e além disso existe uma comissão pra lidar com dúvidas e fazer assessoramento às entidades. É só se informar!

4) As danças tradicionais que os grupos apresentam nos rodeios e ENART não são criações de instrutores, dançarinos... e muito menos são permitidas mudanças nas coreografias. Todas as 25 danças estão descritas no Manual de Danças Tradicionais, escrito originalmente por Barbosa Lessa (In Memorian) e Paixão Côrtes, ícones do nosso Movimento, e devem ser respeitados cada detalhe descrito, sob risco de altos descontos nas notas dos grupos;

5) Concurso de Prenda e Peão não é concurso de beleza! Tchanam... se tu pensaste que eram escolhidas as prendas mais lindas do Rio Grande, tu estás redondamente enganado! As prendas e peões que se desafiam a participar de Cirandas e Entreveros precisam passar por provas culturais, artísticas, mostras folclóricas (prendas) e provas campeiras (peões), onde a beleza vale exatamente NADA! Aqui o que vale é conhecimento, desenvoltura, e muita dedicação;

6) ENART não dá premiação em dinheiro! Outra grande descoberta, não é mesmo? Pois é, centenas de grupos adultos e artistas individuais passam ano após ano se dedicando ao maior festival de arte e tradição da América Latina, com a total consciência de que os únicos prêmios lá conquistados são troféus, caso fiquem entre os primeiros colocados, e muita experiência, ainda mais amor pela nossa tradição, visibilidade e muitas novas amizades;

7) Presidente do MTG, Coordenadores Regionais, Patrões e Patroas de entidade, etc., não ganham um centavo para exercerem estes cargos no Movimento. Como já dito anteriormente, o Movimento Tradicionalista Gaúcho não visa fins lucrativos, e sendo assim, estas funções não são remuneradas. Todos estão nestes cargos por extrema e pura dedicação ao tradicionalismo gaúcho, tendo suas funções profissionais paralelas a este exercício. É ou não é motivo de muita admiração?

8) O Movimento Tradicionalista Gaúcho é um ótimo ambiente para criar teus filhos. Um lugar que representa cultura e onde se preserva muita tradição, que reúne famílias, crianças, jovens, adultos e avós, dos pequenininhos aos mais de idade, todos juntos. Bailes onde se preservam a educação e o respeito, eventos que resgatam história e cultura, danças que exalam doçura e alegria.... Aqui é assim. Vem pro CTG tu também!


por Carolina Bouvie
Fonte: blog Cantinho Gaúcho
Marcadores: ,

Postar um comentário

[blogger][facebook]

Italo Dorneles

{picture#https://scontent.fcwb2-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/20031980_1559156280771539_4826566830380784332_n.jpg?_nc_cat=0&oh=31056e35fc0ba042b61a3b826bd6d603&oe=5BD0DC01} O editor Ítalo Oliveira Dorneles é gaúcho, natural de Canguçu e hoje residente e domiciliado em Arroio Grande. Advogado, atua nas mais diversas áreas do Direito. Apaixonado pela cultura gaúcha, já participou (como integrante e ensaiador) de diversos grupos de danças e também participou de festivais de declamação. Desde 2008 edita, administra e mantém o PROSA GALPONEIRA. {facebook#https://www.facebook.com/italo.dorneles} {twitter#http://twitter.com/italodornelesrs} {google#https://plus.google.com/+ÍtaloDorneles} {youtube#http://www.youtube.com/c/%C3%8DtaloDorneles} {instagram#https://www.instagram.com/italodornelesrs}

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.