Há muito tempo venho matutando uma coisa. Porque nunca se pensou em fazer, aqui pela província, pago fértil em vates, poetas e escritores terrunhos, uma Academia, aos moldes franceses, mas identificada com a nossa cultura? Seria a ACADEMIA GAUCHESCA DE LETRAS. Sei que alguns irão dizer: Mas já não temos a Academia Riogandense de Letras? Ao que eu respondo: Sim, mas quantos de nossos imortais gaúchos tem sua temática direcionada para a cultura sulina? Quantos são versejadores identificados com os costumes nativos? Quantos já, algum dia, vestiram uma bombacha? Apenas dois, de um universo de 32 (temos 8 das 40 cadeiras vagas). Alcy de Vargas Cheuiche e Francisco Pereira Rodrigues. Afora alguns bonitos trabalhos de Luiz Coronel e de Luiz Antônio de Assis Brasil e das críticas contundentes aos farrapos de Moacyr Flores.

Portanto, com o devido respeito e reverência aos nossos Acadêmicos Riograndenses e a linha que seguem, com brilhantismo e competência, porque não se pensar em uma Academia voltada para nosso chão? Com cheiro de querência?
 
Não confundir com a Estância da Poesia Crioula, da qual faço parte e já fui presidente e que tem como adjetivo o título de Academia Xucra do Rio Grande, mas que não funciona aos moldes de Academia.

Vejam uma lista de Patronos de cada cadeira da imaginária ACADEMIA GAUCHESCA DE LETRAS, elaborada, como sugestão, por este gaudério, e que pode ser alterada com a ajuda de outros que tenham o mesmo sonho. A ocupação das cadeiras se daria por poetas que tenham em seus trabalhos a visão telúrica da história e dos costumes mais crioulos do Rio Grande.

PATRONOS DA SONHADA ACADEMIA GAUCHESCA DE LETRAS

01 – Simões Lopes Netto
02 – João Cezimbra Jacques
03 – José Hilário Retamozzo
04 – Erico Veríssimo
05 – Mozart Pereira Soares
06 – Jayme Caetano Braun
07 – Vargas Neto
08 – Aureliano de Figueiredo Pinto
09 – Zeno Cardoso Nunes
10 – Rui Cardoso Nunes
11 – Bernardo Taveira Junior
12 – Hugo Ramirez
13 – Guilherme Schultz Filho
14 - Peri de Castro
15 – Lauro Rodrigues
16 – Glaucus Saraiva
17 – Dimas Costa
18 – Luiz Menezes
19 – Padre Pedro Luiz Botari
20 – Helio Moro Mariante
21 - Antônio Augusto Ferreira
22 – Apparicio Silva Rillo
23 – Balbino Marques da Rocha
24 – Cyro Gavião
25 – João da Cunha Vargas
26 – Ramiro Barcellos
27 - Nitheroy Ribeiro
28 – Ubirajara Raffo Constant
29 – Juca Ruivo
30 – Appolinário Porto Alegre
31 – Manoelito de Ornellas
32 – Múcio Teixeira
33 – Antônio Augusto Fagundes
34 – Amândio Bicca
35 – Cleber Mércio
36 - Silvio Duncan
37 – Nogueira Leiria
38 – Caldre Fião
39 –  Athos Damasceno
40 – Walter Spalding

COMPOSIÇÃO DA ACADEMIA GAUCHESCA DE LETRAS

01 - ..............
02 - .............
 
Nota: reunião dia (tal) para composição das cadeiras dos Acadêmicos.
 
Foto: Chê Zico
Fonte: blog do Léo Ribeiro
Axact

#ProsaGalponeira

O Prosa Galponeira é um portal voltado para a divulgação da cultura gaúcha, amplamente diversificado, trazendo notícias sobre os festivais nativistas, shows - agenda de artistas, rodeios, eventos em CTGs, MTG e CBTG, artigos culturais, histórias e personalidades marcantes da nossa cultura, entre outras informações e histórias. E-mail: prosagalponeira@gmail.com.

Poste o seu comentário:

0 comments: